Ano da Fé – aproveitemos a graça deste tempo

ano_da_fé_vela

Com o intuito de bem celebrar o Ano da Fé, iniciado no dia 11 de outubro de 2012, o Presidente da Comissão para a Evangelização e a Catequese da Conferência Episcopal dos Estados Unidos (USCCB), Dom David Laurin Ricken, apresentou dez simples conselhos para viver bem esse período.

O primeiro conselho é participar da Santa Missa. “Uma participação regular na Missa reforça a própria fé através das Escrituras, o Credo, as orações, a música sagrada, e a homilia, recebendo a Comunhão e formando parte de uma comunidade de fé”, afirmou o prelado.

Confessar-se é o segundo conselho dado pelo prelado. “Os católicos recebem forças e aprofundam sua fé celebrando o sacramento da Penitência e da Reconciliação“. A Confissão “convida a voltar-se a Deus, a expressar a dor pelas quedas, e a abrir nossa vida à potência das graças sanadoras de Deus. Perdoa as feridas do passado e dá força para o futuro”.

Em terceiro lugar está “conhecer a vida dos Santos“. Se bem seguido, esse conselho ajudará os fiéis a terem exemplos válidos de como viver uma vida cristã, através de diferentes formas de trabalho.

A leitura diária da Bíblia é o quarto conselho. Ela oferece um acesso direto à Palavra de Deus e narra a salvação dos homens “não se pode prescindir da Bíblia para um são crescimento durante o Ano da Fé”.

O quinto conselho é a leitura dos documentos do Concílio Vaticano II, que celebra este ano seu 50º aniversário.

Estudar o Catecismo da Igreja Católica é outro ponto fundamental, o sexto conselho, e serve com “um verdadeiro recurso para crescer na compreensão da fé”.

Como sétimo conselho está ser voluntário na paróquia, pois o Ano da Fé “não pode limitar-se ao estudo e sua reflexão”, e assim “os carismas de todos ajudarão a construir a comunidade”. Acompanhar musicalmente a liturgia, fazer as leituras, dar catecismo, entre outros atos fazem parte desse voluntariado.

Ajudar os necessitados é o oitavo conselho. “A Igreja pede aos católicos fazer doações de caridade e socorrer aos mais necessitados durante o ano da Fé, pois no pobre, no marginalizado, e no vulnerável, se encontra Cristo pessoalmente”.

Convidar amigos e conhecidos para participarem da Celebração Eucarística é o nono conselho. “Um convite pessoal pode realmente fazer a diferença para alguém que tenha se distanciado da fé ou se sinta um estranho dentro da Igreja. Todos conhecemos alguém assim.”

O último conselho dado por Dom Ricken é o de encarnar as Bem-aventuranças na vida diária, afim de crescer na humildade, paciência, justiça, misericórdia, transparência e liberdade. (EPC)

(Washington – Terça-feira, 02-10-2012, Gaudium Press)

Anúncios

Sobre ralk

Sou evangelizador, trabalho na Diocese de Blumenau nos setores de Comunicação e Ecumenismo.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s