Homenagem às flores

“Deus ao mundo deu a guerra,

A doença, a morte e as dores,

Mas para alegrar a terra

Basta haver-lhe dado flores!”

Não sei de quem é a autoria desta pequena, mas significativa poesia. Talvez sabia quem, há muito tempo atrás, deu-me para decorá-la e declamá-la em público. A primeira recordação que tenho de uma exibição pública.
Cursava os anos primários na Escola Isolada Estadual de Volta Grande, então município de Taió; isso nos idos de 1957, 1958. Não recordo em que ocasião, a saudosa e querida professora Natalina Nolli, pediu-me que decorasse essa poesia. Eu a decorei tão bem que nunca mais dela me esqueci.

Alguém pode dizer: “Mas também era uma poesia muito pequena”. É verdade! São tantas, porém, as coisas pequenas da vida, ainda mais as da infância.

O motivo ao qual atribuo o fato de não me ter equecido daquela declamação, realmente, é a simplicidade e a profundidade de conteúdo e forma com a qual ela se apresenta.

Deus nos deu tudo. Até a liberdade de fazer guerra. Tanto a guerra entre nações como a guerra entre pessoas e grupos. Não há o que discutir: o que Ele não quer, não acontece. Ele é o Criador e Senhor de tudo, tenhamos fé ou não a tenhamos. Por outro lado, ele pode permitir fatos que ajudem a humanidade a caminhar, a progredir, a crescer. Não é a vida de cada pessoa uma sequência de erros e acertos? Esses erros e acertos possibilitam reflexão, amadurecimento, aperfeiçoamento, até o fim da nossa vida. Lógico, falamos aqui, agora, de pessoas que desejam ser honestas, sinceras, leais consigo mesmas e com os outros.

“A morte, as dores”, não dependem de nós escolhê-las ou não. Elas não dizem muito respeito à nossa liberdade. São fruto da nossa humana condição. Iluminados por uma sadia compreensão da pessoa humana, pela revelação, pela Palavra de Deus, precisamos acolhê-las, aceitá-las, integrá-las à nossa caminhada existencial. Aos membros da comunidade de Corinto, o Apóstolo Paulo diz: “Irmãos, entre vocês eu não quis saber outra coisa a ser Jesus Cristo, e Jesus Cristo Crucificado” (1Cor 2,2). Ainda: “[… ]; nós, porém anunciamos Cristo crucificado, escâncalo para os udeus e loucura para os pagãos” (1Cor 1,23).

Merece reconhecer que, muitas vezes, as dores e sofrimentos são consequências do nosso modo de viver. Diz o velho ditado: “Cada um colhe o que planta”. E outro ditado ainda cabe aqui: “Quem semeia vento colhe tempestade”.

Enfim, o mais belo dessa poesia em questão: o reconhecimento da verdadeira missão das flores. “Basta haver-lhe dado flores!” Diante de tudo o que é ruim debaixo do céu, diante de tudo que é difícil, até inexplicável, as flores, tão diversas e tão belas, parecem contrabalançar, superar, transcender. Isto é, se eventualmente nada de bom houvesse sobre a terra, valeria a pena passar por aqui por causa das flores que Deus semeou em todos os lugares.

Felizmente, constatamos a existência da bondade, do amor, da coragem, da alegria enfim, com as quais Deus dotou o coração humano. Dá para afirmar que também ali, no coração do ser humano, em todos os seres homanos, Deus plantou diferentes e belíssimas blores!

Concluindo: não sabia que aquela declamação, desempenhada com as condições daqueles meus 7, 8 anos, poderia se tornar um verdadeiro programa de vida. No espírito de um verdadeiro humanismo e dos ensinamentos de Jesus, explicitados também pelo apóstolo Paulo, reconheço-me, hoje, na altura dos meus 60 anos de idade, como fruto das “guerras” que travei comigo mesmo, com os outros, com o mundo ao meu redor, até com Deus (lembra a luta de Jacó com Deus – Gn 32?). No entanto, com sinceridade, posso afirmar: as doenças, a morte e as dores, embelezaram ainda mais as flores que Deus plantou em mim  e ao meu redor!

Um grande abraço a você, querido/a internauta!                                                                  

 Pe. raul Kestring

Anúncios

Sobre ralk

Sou evangelizador, trabalho na Diocese de Blumenau nos setores de Comunicação e Ecumenismo.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Homenagem às flores

  1. Parabéns pelo BLOG padre Raul, muito interessante. Gostei da foto de capa, ficou show. abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s